4 Maneiras de Obter Feedback Honesto dos Funcionários

Final de ano é hora de revisar o ano corrido e projetar o ano futuro. E nada melhor para aprender com seus erros e projetar um 2018 melhor que obtendo feedback honesto da sua equipe. O grande problema é que, feedback honesto, geralmente é difícil de conseguir. Então aqui vão 4 dicas:

 

1. Peça fedeback brutalmente honesto. A maneira mais básica de entender o que as pessoas pensam de você é perguntar a elas. Se você não está solicitando discórdia, é improvável que você esteja ouvindo a verdade sobre o que é trabalhar para você.
Nenhuma notícia não é necessariamente uma boa notícia. Seja em reuniões de grupo, ou individuais, as pessoas precisam sentir-se confortáveis ​​para lhe criticar e, se você não tem pessoas rotineiramente oferecendo idéias dissidentes, ou suscitando preocupações sobre as ações que você está contemplando ou tomou, você deve se preocupar.

2. Interprete sugestões não verbais. As pessoas estão constantemente dizendo o que eles sentem sobre você através de suas sugestões não verbais. Enquanto as pessoas podem reter feedback verbal, seus rostos e corpos costumam contar uma história diferente.
Se você aprender a lê-los, essas dicas podem fornecer um fluxo constante de comentários úteis sobre como suas palavras e ações estão sendo recebidas.
Allan e Barbara Pease sugerem em seu livro, The Definitive Book of Body Language, que porque mais de 65% da comunicação interpessoal não é verbal, detectar as contradições entre as palavras de alguém e a linguagem corporal aumentará drasticamente sua capacidade de perceber com precisão o que está acontecendo. Quando as pessoas olham para baixo ou evitam contato visual com você, quando um colega tipicamente envolvente fica repentinamente em silêncio, ou quando um colega equilibrado fica defensivo, preste atenção. Não ignore essas sugestões críticas. Ofereça sua observação.
Um líder com o qual trabalhei fez isso magistralmente. Quando o humor ou o semblante tomaram uma mudança súbita, ele diria algo como: “Diga-me como eu deveria interpretar seu silêncio”, ou “Você de repente parece não querer olhar diretamente para mim. Estou preocupado com algo que eu disse que você não gostou. Você pode me ajudar a entender se isso é verdade? “Essas observações tácitas convidaram outros a compartilhar o que estava acontecendo internamente e, por sua vez, ajudaram o líder a se ajustar, aprofundando a confiança entre ele e aqueles que observaram seu comportamento em mudança.

3. Monitore como você narra a história. Estamos naturalmente inclinados a interpretar como as coisas estão indo de maneiras excessivamente positivas. Preste atenção à sua narrativa interna do que está acontecendo ao seu redor. Se essa voz estiver trabalhando para convencê-lo, tudo bem, recuar e reavaliar.
Fique atento se a voz em sua cabeça estiver fazendo muita auto-justificação ou auto-calmante, como “Eu acho que a apresentação foi muito bem… e se eles não tivessem qualquer dúvida” ou “Eles entendem que você é um pouco impaciente às vezes, mas eles sabem que é porque você realmente se importa”, ou “Eu não posso acreditar que eles pensam que eu sou indeciso! Você não pode apressar o processo criativo! “Force-se a considerar explicações alternativas. Talvez eles não compreendam por que você fica impaciente ou está sendo indeciso. Tenha cuidado para não se tornar muito autocrítico. Você está buscando uma perspectiva equilibrada e informada, não uma que proteja ou prejudique seu ego.

4. Conheça o que lhe tira do sério, e incentive o pessoal a chamar sua atenção nesses momentos. Todos os líderes têm botões que são pressionados. Alguns líderes reagem defensivamente quando confrontados com erros. Outros se tornam sarcásticos ou passivos-agressivos quando não conseguem o seu caminho. E alguns se tornam impacientes quando as coisas não se movem com rapidez suficiente.
Seja como for, um bom líder sabe o que lhe tira do sério, e pede para seus funcionários chamarem a atenção quando isso acontecer. Um caso conhecido era um chefe que em momentos de tensão começava a falar de mais, tagarelar, e não deixava a equipe falar. Então ele deixou isso claro para e equipe e pediu para que quando ele começasse a falar incansavelmente, para alguem erguer o braç. As primeiras vezes as pessoas levantaram as mãos, ele lutou para ficar quieto. Alguém no time finalmente disse: “Se você quer que nós o ajudemos a parar de caminhar, você precisa concordar em parar de falar quando levantamos as mãos”. Ele fez. Ele finalmente aprendeu a ser breve, escrevendo declarações concisas que ele poderia empregar conforme necessário.
Os grandes líderes também se desculparam quando se comportaram mal, limpando qualquer confusão emocional que deixaram para trás.

Você não precisa de um processo formal e complexo de feedback. Basta ser honesto e aberto com a equipe. E estar presente. Conversar, principalmente ouvir e prestar atenção na linguagem corporal deles.

Engenheiro de Computação por formação, Marqueteiro Digital por opção. Mas a minha verdadeira paixão é ajudar empresas e empresários a fazer seus negócios crescerem através do marketing digital, principalmente via pesquisas orgânicas e pesquisas pagas.

Consiga Mais Clientes

Ao aparecer no TOP 5 do google! Ou ai ter campanhas em AdWords Impecáveis!

logo fv vidracaria
marmoraria gomes marmores e granitos
formato 9